sábado, 26 de março de 2011

“ Fúria de sentimento...



Às vezes tenho
Raiva de mim mesmo
Pareço esquecer de tudo
Queria saber possível razão.

Tudo que faço
Maltratado pela vida
Coloco-me a questionar
Seria fácil viver
Sem ter dificuldades.

Ou sem tem uma razão
Penso que faço
Tudo que posso
Para ser feliz.

Embora sofra de tantas angústias
Que querem atormentar 
Minha alma
Nada se mostra tão preocupante
Do que viver por alguém
E em troca sofrer tamanha decepção.

Ou por tamanha traição
De confiança ou carinho
Se esta é minha recompensa
Melhor nunca ter amado.

Mas por outro lado
Talvez Consiga perceber
Que é melhor ser assim.

Não quero ser para alguém
Uma grande frustração
Não serei visto como
Um perdido em pensamentos.

Coloco-me a disposição da vida
Para ela fazer de mim
O que o meu destino desejar.