sábado, 20 de abril de 2013

Pedaço de estrela cadente

Vou caminhar com meus pensamentos
Entre a mata e os raios de sol
Que se lançam por entre os galhos.

Cheiro de terra molhada
Chuva fina que passou
E o cheiro das flores silvestres
Que se misturam ao suave vento.

Em cada passo
Pássaros pequenos se dispersam
São detalhes em minha descoberta
Do encanto de vida deste lugar.

Deixo para trás as ilusões
E contemplo minhas emoções
A natureza é assim
Renova e resgata o coração.

Sigo calmamente na trilha
Vou desbravar
Respiração agitada
E as batidas do meu coração.

Que se confundem com o vento
E o barulho da cachoeira
Escondida na mata
Em algum lugar.

Ao chegar no riacho
Já é meio dia
E algo me chama atenção.

Dentro d'gua
Brilha entre o cascalho
Será um diamante?
Entre os pequenos peixes
Que parecem nadar em sintonia
Com a leveza da corrente
A beira da cachoeira azul.

Não penso, eu arrisco
Entre as pedras e os peixes
E o frio das aguas do meio dia.

Em um mergulho profundo fui buscar
Meus pensamentos foram comigo
O que será?
Coração bate mais forte
Ate enfim descobrir
E na palma da mão colocar
Pequeno pedaço de estrela cadente.