domingo, 20 de novembro de 2011

Nas batidas do meu coração



Ao relógio que bate
Não para
Não teme ao tempo
Ao momento e sentimento.

Relógio que bate
E quando cai
Despedaça-se e reconstrói
Mas não para
Continua a bater.

É o meu coração
Feito relógio que bate
Que marca a saudade
As lembranças
E o sorriso de um grande amor.

Ao coração que bate
Meu relógio de vida e do tempo
Que não teme
 O vento da tempestade.

Coração do tempo
Ou relógio da vida
Que ao passar do ponteiro
Descobre uma nova batida
De emoção e sentimento.





 Velho relógio em sépia por Vera Kratochvil

Eu e minha máquina do tempo

São 16:45 no velho relógio de bolso É inverno em Londres Fria tarde de 1875. Dias que passam sem sol Apenas nuvens vem dançar Carr...