sexta-feira, 7 de abril de 2017

Bilhetes para um nobre olhar


Por muitas noites
Perdi o meu olhar
Contando estrelas
Faíscas em espirais
Cometas a desenhar o céu
Ao alcance de um piscar.

Paro o tempo
E o meu respirar
E volto com uma certeza.

Que o pensamento é
O bilhete que me leva
Para as estrelas e o coração
De um nobre olhar.    

Meu amigo Luado


Sabe aquele amigo
Que marca nossa existência
Sim, é o meu amigo gato.

Que pela manhã
Se entrelaça entre minhas pernas
Querendo atenção
E tambem a sua ração.

Carente, pobre animal
Esperto, malandro
Que batizei de Luado
Talvez por ser um pouco avoado
Esse velho amigo gato.

E entre um gole de café
Ele sempre espera
Um agrado.

Tempo depois
A campainha toca
Eu e luado
Prontos para abrir a porta.

Sim, é ela
A minha alegria e felicidade
A minha estela
Que é a minha filha
E carinhosa amiga
Do velho gato Luado

        

terça-feira, 4 de abril de 2017

Sorriso molhado

Me lancei ao desconhecido
E deixei que as chuvas de verão
mudassem meu caminho.

A chuva caiu lá fora, na despedida
Não foi fácil...
Mas a vontade de viver e sonhar
Me fez voltar a encantar
Delicados olhares
Que percorrem esse rabiscar.

Espero sempre boas noticias
Ao escutar as gotas da chuva no telhado
Que na despedida e na receptiva
Sempre estarão lá.

Que bom é lembrar
De uma amizade distante
Ou um amor adolescente
Que resolveu voltar.

Tenho tanto a lembrar
Neste fim de tarde
Esperando a chuva chegar.

Chuva que traz alegrias
E também um belo sorriso
Que molhado por inteiro
Pela chuva a respingar
E que depois de muitos anos
Vem tomar café comigo.



Bilhetes para um nobre olhar

Por muitas noites Perdi o meu olhar Contando estrelas Faíscas em espirais Cometas a desenhar o céu Ao alcance de um piscar. Paro o te...