quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Quando sonhar




 Em noite de paz
Ao olhar pela janela
Verá o rabiscar no céu
De estrelas cadentes.

Que todos já sabem
Que uma delas certa vez
Caiu no seu jardim.

 E entre os encantos da noite
Quando se lançar em seu sonho
Deixará as lágrimas da ilusão
Não mais te tocar.

E ao passear por infinitos jardins
 Ganhará asas
Para tocar nuvens celestes
Entre montanhas encantadas
Iluminadas pela estrela do amanhecer.

Sonho especial
Que a seu olhar encanta
Fazendo sua alma iluminar
Neste sonho
Feito reflexo de paraíso.

Ao despertar
Perceberá a simplicidade
Que o sonhar é o desejo de conquistar
Dias melhores e o caminho da felicidade
Que sempre aparecem
Quando chegar o doce sonhar.







Estrelas por Luis Robles



terça-feira, 22 de novembro de 2011

Sentimento na palma da mão



Para dizer uma palavra
Não é preciso lançá-la ao vento
Mas, no sorriso e olhar
Deixar-se encantar.

Para falar ao coração
Não é preciso ter voz
Mas, ter o momento
E o sentimento na expressão.

Sentimento que se resume
Quando surgem
Palavras na palma da mão.

São sinais para dizer
E assim demonstrar
A força da amizade
De um jeito especial.





Flor em mãos por Anna Cervova

domingo, 20 de novembro de 2011

Pedras e correntes pelo caminho




O que fazer
Como se libertar?
Para achar novamente
 Um motivo para sonhar.

Caminhos são difíceis
Com pedras e correntes
Que é preciso enfrentar.

Se for difícil achar a saída
Para as dificuldades desta vida
Deve deixar partir solidão
O que machuca o coração.

Para que as lágrimas
Que caíram pela ilusão
Fiquem como lembranças perdidas
Que não se deseje recordar.

Ao se libertar
Entenderá a força do seu coração
Do querer conquistar
Dias melhores
E assim recomeçar.










Uma pedra por Piotr Wojtkowski

Elo da cadeia por Peter Griffin














Nas batidas do meu coração



Ao relógio que bate
Não para
Não teme ao tempo
Ao momento e sentimento.

Relógio que bate
E quando cai
Despedaça-se e reconstrói
Mas não para
Continua a bater.

É o meu coração
Feito relógio que bate
Que marca a saudade
As lembranças
E o sorriso de um grande amor.

Ao coração que bate
Meu relógio de vida e do tempo
Que não teme
 O vento da tempestade.

Coração do tempo
Ou relógio da vida
Que ao passar do ponteiro
Descobre uma nova batida
De emoção e sentimento.





 Velho relógio em sépia por Vera Kratochvil

sábado, 12 de novembro de 2011

Seu olhar estrelado



Ao contemplar o céu
Pela noite
Seu olhar estrelado
Direciona o seu pensamento.

Ao cruzeiro do sul
Lança embora a solidão
  E pelo caminho de Santiago
Pode dedicar seu coração.

Estrela cadente passou
Coração bateu mais forte
Pelo pedido lançado
Seu coração já sentiu.

Que a felicidade
Vem lhe abraçar
Nesta noite encantada
De céu e olhar estrelado.

Uma ótima noite
Que já sabe
Que és bem mais
Que um sonho encantado.









Estrelado fundo por Petr Kratochvil

Ventos da poesia



Quando chega este sentimento
Que vem com o vento
Ao passar pela janela 
Sendo letras encantadas
De horizonte distante.

És inspiração que acontece
Para se encontrar
 No coração do poeta.


E neste momento
De renovação do pensar
Que não há como saber
Quando chegará.

Mas, deixando a janela aberta
Encantará o poeta
Dando asas à sua imaginação
Como a alegria no amanhecer.





Madrugada por Teodoro S Gruhl

É bela Tarde

Corre o dia Como o rio que não volta A tarde que enfim chega Vem trazendo doçura. Um café da tarde Um chá tailandês  Uma velho...