Translate

sábado, 28 de maio de 2011

“ Viagens no Luna Angel...



“ Jovem professor
Depois de sua formatura
Com dedicação se lançou
Em uma grande jornada.

Partindo para lugar distante
Foi parar em horizonte branco.

Na companhia de seu amigo o capitão
Uma animada tripulação
E o barco que corta o mar
Que todos no porto do amanhecer
Conhecem por

“ O Luna Angel ”

Jornada de um jovem professor
Em suas pesquisas
Pela terra do gelo
Era em sonho
 O que seu coração desejava.

E assim após longos dias
Gelo cortante
Frio contagiante
Foi assim que aconteceu
Dentro do Luna Angel
A neblina vira neve a todo instante.

Professor e suas ambições
Percebendo animais encantadores
Um bando de pingüins
Mergulhando do alto de um iceberg
Curiosos ficam a olhar
O barco, estranho animal de ferro e vibra
Que seus olhos admiram assustados.

Tudo vira anotação
Ao encantado professor
Que em seus intervalos de observação
Desse a sala de reuniões.

Que é bem pequena
E o alojamento
Tudo compacto
E os instrumentos de orientação.

E no canto ao lado a mesa
Uma maquina de café
Aonde no frio e sempre bem vindo.

Naquele pequeno espaço
Lugar onde acontecem as reuniões
O professor e suas lembranças de família
Que surgem a todo instante
Quando seus olhos observam
As fotos em destaque no pequeno mural.

Lugar distante e este
Mundo branco
Frio intenso.

Se é o sonho de um jovem professor
Merece ser compartilhado
Pois virou realidade
A bordo do Luna Angel.

Que leva o jovem professor
 Entre o gelo e a neve
E a grandes animais fantásticos.

Que a cada dia
Apresentam-se aos olhos
 Sendo retratados em anotações
E registrados em fotografias
Fazendo seguir em direção
A muitas descobertas.

Mergulhando no frio intenso
Vivendo um sonho
A cada dia
E assim que acontece
As aventuras de um jovem professor
Abordo do Luna Angel.



quinta-feira, 26 de maio de 2011

“ Pensamentos, decisões e um novo caminho...



“ Pensamentos voam
Ao final de mais um dia
E ao entardecer
No conforto do lar
Dedicamos
Em reflexão ao dia que passou.

Dia cansativo que surgiu
Trabalho e sobrecarga
Podendo nos fazer questionar
Sobre o caminho que escolhemos.

Amores e ilusões
Que nascem como o amanhecer
E partem sempre no entardecer
Não deixando saudade
Apenas lágrimas derramadas
Pelo caminho.

Amigos e falsidades
O que era sonho virou tempestade
Momentos turbulentos
Que passamos na vida.

 Precisamos pensar
Decidir qual o melhor caminho
Para seguir e novamente voltar a sonhar.

Se a vida a cada instante
Merece renovação
Ou se devemos enfrentar
O que maltrata
O coração
Devemos decidir.

 Dúvida que atormenta
Faz com que o coração fique distante
Não sabendo o que fazer
Precisamos de tempo
E reflexão.

E certo dizer que
Quando o coração
Entristece-se
 É preciso chorar, desabafar.

Para entender e compreender
Que toda lágrima que cai
Por uma decepção ou ilusão
No final sempre vai levar a solidão
 Para bem longe.

Tem dias que é assim
E preciso decidir
Em qual caminho seguir.

Sonhos dissipados
Que se apresentam
Ou o começo de um novo sonho
Que sempre esperamos
Que chegue
E que venha logo a felicidade.

E assim a cada dia
Que na vida se apresenta
Entre pensamentos, decisões e um novo caminho.

Devemos decidir a direção
Depois de um dia
Turbulento que chegou
Igual tempestade
E que partiu não deixando saudade.





segunda-feira, 23 de maio de 2011

“ O viajante dos sonhos e uma canção na montanha...



“ Adormeça nas asas da felicidade
E faça uma viagem
Para além do horizonte
Quando chegar
Entenderá este sonho.

Que começa
Assim como vento
Que pelos vales e montanhas
Passa imponente.

Ao voar pelo céu
Ouvirá uma suave melodia
Que será compartilhada
Com seu coração.

Voando pelo céu
Com os pássaros
 E a envolvente canção
Em formações apaixonantes.

Seguirá pelo sonho
E a bela canção irá fazer
Você pensar
Quem será o mestre
Desta emoção.

Saberá que o poeta e o autor
E também o compositor
Que consegue fazer
 Com que seus sentimentos
Ganhem vida na notas musicais
Em uma incrível viagem de reflexão.

Feliz você será 
Abençoado por escutar 
Com o coração
Vivendo pelos sonhos
Observando no alto de uma montanha
Toda a grandeza desta canção.

Que deseja apenas transmitir
Paz e felicidade
E muitos secretos emocionantes
Que ainda serão revelados
Em cada suave melodia.

Que em cada
 Sonho encantado
Você irá conhecer.

Por muitos e muito anos
Nobre viajante dos sonhos
Que já pode acordar
E seguir o seu caminho.



domingo, 22 de maio de 2011

" As lições de vida de um viajante dos sonhos...



“ Para um viajante
Todo viagem
É sempre uma
 Grande aventura.

Nada mais natural
Se este nobre viajante
Sair em viagens
Por terras e reinos encantados
Que só existem em sonhos.

Viajante que vive a vida
 Mergulhando em seus sonhos
Para compreender
 A sua existência e realidade.

E assim tudo se mostra especial
 Em uma perfeita sintonia
Entre sonho e o acreditar.

Para este nobre viajante
Não existe medo ou ilusão
Tristeza ou ingratidão
Só a paz reina soberana.

E ao viajante
 Que quando se lança
Em sua jornada de conhecimento
Com sua alma encantada
Lança-se sem temor
 Entrega-se sem demora.

Viajante dos sonhos
E suas aventuras
Em novos horizontes.

Que a cada retorno
Traz sempre
Uma grande lição de vida.

Aprendendo
Com os sonhos
A viver a vida intensamente
Depois de uma grande aventura
Que sempre acontece
Nos sonhos
Sendo lembrada e valorizada 
Em sua realidade por muitas gerações.



sexta-feira, 20 de maio de 2011

“ Em um sonho aconteceu...



 “ Em um sonho natural
Depois de adormecer
Assim aconteceu.

Minha visão
Feito um pássaro
Ao alto de uma colina
Fui me encontrar.

E naquele momento
Ao olhar para o céu
Avistei uma estrela
Que vinha caindo.

Feito um raio veloz
Caiu naquele lugar
E na terra se escondeu
  Por muito tempo
Como se nada existisse.

E naquela visão
Eu era apenas uma voz
Lançada ao vento.

Minha missão
Era apenas relatar
O que em sonhos acontecia.

E assim a estrela
Que na terra ficava
Um dia com a chuva forte
Em uma grande tempestade
Onde um mundo de água desabou
Feito lágrimas de felicidade
Fazendo a estrela renascer.

Estrela da terra saiu
E ao céu queria retornar
Mas não poderia
Sua vida tinha mudado.

Vivia agora
 Em outra realidade
Foi difícil observar
Aquela estrela
No meio de tanta chuva
Seu brilho não era como antes
Pobre estrela que agora
Renascida tinha um novo destino
E pela terra deveria ficar.

E nesta confusão
Eu apenas observava
Difícil situação
E melhor acordar
Deste sonho
Que se apresenta.

Já acordado
Sentado a beira da minha cama
Volto-me em pensamentos
Ao que em sonhos aconteceu.

Quem sabe exista uma explicação
Para sonhar assim
Quem sabe seja um sinal
Para minha vida seguir.

Se um dia fui estrela
E pensava ser intocável
Distante em minha realidade.

Mas um dia tudo mudou
Sendo preciso reaprender a viver
Feito uma estrela
Que não pode mais
Voltar ao céu.

E assim feito à estrela
Que em meu sonho observava
Devo mudar a minha vida
Nesta longa jornada.

Que agora percebo
Que deve recomeçar
Depois daquela visão
Que em um sonho aconteceu...








“ Quando o anjo fala...


“ Vida de anjo é assim
Voando, protegendo sua vida
Pelo mundo
É nossa missão.

Missão conquistada
Como um presente
Por nossas boas ações.

Nobre missão
Honra celestial
Na alegria e na tristeza
 Estamos ao seu lado.

Cuidando do mundo
Que cada vez mais
Não nos deixa descansar.

Pelo seu bem, voamos
Com a paz na alma e no coração
Queremos ajudar.

Voando ao seu lado
Somos anjos
Para sua vida abençoar.



quinta-feira, 19 de maio de 2011

" Memórias de um poeta e um antigo farol encantado...

 “ Olhei para o céu
Observando o interessante
 Formato das nuvens
Já era tarde e admirava
O pôr do sol dinamarquês.

Continuando lentamente
 Minha caminhada
De todas as tardes pela praia.

Ouvindo o som das gaivotas
 E o barulho das ondas do mar
Que se quebram ferozmente
Ao se encontrar com as pedras.

Vento gelado que se aproxima
Céu começa a escurecer
Ao longe no horizonte
Um pequeno barco de pescadores passa
Ao final de mais um dia.

E o sol dinamarquês
 Se despedindo lentamente
Rodeado por um brilho especial.

Acompanhado por nuvens distantes
Que prenunciam uma tempestade
Que dividem a minha atenção
Naquela visão envolvente.

Volto meu olhar
Para o alto de um mirante
Onde existe
Há muito tempo
Um antigo farol
Que muitos dizem ser encantado.

E que os visitantes
 Que por lá passam
Ao fazer um pedido
Sendo noite enluarada
Na direção ao horizonte perdido.


Pedido que acontece
Feito um sonho realizado
Trazendo paz na alma
E no coração
Por muitas gerações.

Acreditar ou não
Vai de cada emoção
Talvez tudo aconteça realmente
Ou seja, apenas criação humana.

Continuo a caminhar
Distraindo-me
 Pelo encanto do farol
Que sua luz lança ao mar
Olhar iluminado
Que pela imensidão segue.

Mudo meus passos
Apresso-me para casa
Talvez a tempestade
Logo chegue.

Caminhando pensando na vida
Saindo da praia já me encontro
Em um pequeno vilarejo.

Afinal e sempre bom
Conversar com os amigos
Na pequena hospedaria.

Abro a porta que é decorada
Com antigas redes de pescadores
E caminho em direção aos amigos
Que intensamente me acenam.

Ao chegar perto me abraçam
E me convidam a um chá quente
Que somente se encontra naquele lugar.

Mistério se pode tentar decifrar
Na receita daquele chá
Segredo quardado a sete chaves
Passado de geração a geração.

Volto-me aos amigos
E ao sabor daquele intrigante bebida
Afinal nada mais agradável
Quando pela tarde
Um frio suave chega.

E assim perceber
Que já e hora da estação mudar
Em breve o frio vai chegar.

E neste lugar interessante
Ao lado dos amigos e daquele chá
Mergulho meus pensamentos
Em antigas lembranças
Que perdidas se encontram no interior
Da minha alma.

Passado alguns momentos
Naquele ambiente confortável
Sigo em direção a minha morada.

Caminho por um antigo
 Corredor de pedra
Entre casas iluminadas
 Pela claridade das velas.

Até finalmente chegar
Em uma casa simples
Uma janela, uma porta, uma cozinha,
 E uma pequena sala.

Onde muitos livros amontoados
Encontram-se
E na pequena mesa
Minha última história
Que ainda espera
 Chegar ao seu fim.

Sou um antigo escritor
Desta ilha distante
Em terras dinamarquesas
Que pelas tardes caminha
 Quando falta a direção.

Volto-me ao antigo farol
Onde em seu encanto e sua história
Em possa encontrar
 O final para a minha obra
Que já se encontra quase pronta.

História que foi retratada
 Com finas penas
Iluminada pela luz das velas
E a companhia das estrelas.

E assim ao final de mais um dia
Cansado depois
De uma intensa caminhada
Pela ilha dinamarquesa.

Deito-me em minha cama
Rodeado pelos livros e pensamentos
E a visão do farol
Que da minha janela
É possível contemplar.

Quando a tempestade que cai
Acompanhada de raios e trovões
Não me faça fechar a janela
E esconder a bela visão do farol.

E assim entre um clarão de relâmpago
E o bater da chuva forte
Em minha janela
Que parece não querer fechar
Encontrei o final do meu livro.

Livro que tem como principio
Baseado nas lembranças
Da minha vida nesta ilha.

E tem em seu titulo;

" Memórias de um poeta
 E um antigo farol encantado"

Nada mais natural
Nesta vida poética
Como lembranças ou sonhos
Serão vividas
Em cada palavra que eu escrever.

Adormeço me entregando ao sonho
E esperando por um novo dia
Depois que a tempestade passar.



Um lápis, um sorriso

Te admiro Lhe faço declarações Desenho jardins. Campos floridos E você a dançar Entre as folhas. Um sorriso Um lápis Um sonho Nossa...