terça-feira, 22 de março de 2011

" No deserto não tem saída...


 "Sol quente que bate em meu rosto
Já cansado sofrendo
Lágrima petrificada
Sem direção procuro encontrar
Difícil saída.

Meu deserto de ilusões
Deixam-me sem direções
Será este meu fim
Não encontro nenhuma saída.

Caminhada sem direção
Não posso pensar em parar
Ao passar por grandes Dunas
Quem sabe possa encontrar
Um oásis, um refúgio
Que me salvem deste lugar.

Se em minha vida
Sou perdido no deserto
Quem sabe meu oásis
Eu logo possa encontrar.

Tomara que seja verdade
Que exista precioso refúgio
Que não seja uma ilusão
Que não seja mais decepção.

Sigo em deserto perdido
Na esperança de a minha salvar
Sozinho ainda, não desisti
De sair deste deserto 
Que não tem saída.

Eu e minha máquina do tempo

São 16:45 no velho relógio de bolso É inverno em Londres Fria tarde de 1875. Dias que passam sem sol Apenas nuvens vem dançar Carr...